terça-feira, 20 de abril de 2010


Quero ir para as ruas

Desabafar o meu grito

Deixar minha voz escapar

E ecoar pelos ares

Deixar de ser só pensamento

E não ser mais tão sozinha

Porque ela quer ser coro

Não quer mais ser só minha


Em busca de novos destinos

Meus pés querem marchar

Sentir o chão da terra

E o asfalto quente que lhe veste


Com punhos erguidos

Minhas mãos querem vibrar no ar

Onde soam palavras de ordem

Querem agitar bandeiras

Juntar mãos com mãos

E sentir com força o aperto de cada uma


Minha pele quer se vestir de povo

Conhecer o suor do trabalho

Sentir a dor do outro

Arrepiar-se com alegria

Ao ver na luta uma esperança


E minha mente quer descanso

Quer um dia dormir sossegada

Quando a utopia do amanhã não for mais um sonho

E a realidade de hoje for só mais um pesadelo

Um comentário:

Iara disse...

Por isso que eu amo ele. :)

Iara